• capa do livro

Copa 2014

20/10/2014

Segurança privada faz balanço da Copa no Paraná

Um seminário reunindo dezenas de empresas de Segurança Privada e autoridades das policias Militar, Civil, Federal, Guarda Municipal, Defesa Civil e Corpo de Bombeiros foi realizado no último dia 03 de setembro de 2014, na sede do Sindicato das Empresas de Segurança Privada do Estado do Paraná - Sindesp.

Na ocasião o coordenador geral de Eventos Esportivos do Paraná, Mario Celso Cunha, que coordenou as ações da Copa do Mundo 2014 no estado falou sobre o trabalho dos vigilantes e stewards durante o mundial. Ele apresentou um relatório sobre o legado que ficou para a Segurança Pública, além de focar no serviço apresentado pela Segurança Privada no estádio da Arena, no fan fest, além de Hotéis e Centros de Treinamento.

“Foram realizadas 138 escoltas de delegações, autoridades Fifa, arbitragens e autoridades governamentais”, disse Mario Celso Cunha. “Um total de 75 varreduras foram realizadas em locais estratégicos”, completou. Consta do relatório que, durante a Copa, no estádio da Arena foram registradas 110 ocorrências, sendo 24 por drogas, 15 perdas de documentos, 3 cambistas, 13 roubos, 11 furtos simples, 7 furtos qualificados e 01 perturbação do sossego. Na fan fest foram 18 casos, todos sem gravidade.

Na Arena atuaram 700 stewards por partida, ficando em áreas como gramado, arquibancadas, cadeiras, área Vip, estacionamento, fan zone, postos de saúde e Juizado Especial. No Centro de Treinamento do Atlético Paranaense, o CT do Caju, apenas um registro mais significativo. Foi uma invasão por parte de quatro jovens durante a concentração da Seleção da Espanha. Eles queriam chegar perto dos seus ídolos, mas não conseguiram se aproximar da concentração, sendo detidos e identificados.

Também falaram durante o seminário: Jéferson Nazário, presidente da Fenavist; Hilário Medeiros, coordenador nacional de Segurança Pública da Copa pelo COL/FIFA; coronel Douglas Dabul, diretor de ensino e pesquisa da Polícia Militar; delegado da Polícia Federal Jorge Luiz Fayad e Danilo Tonetti, consultor de Segurança Privada.


O coordenador geral Mario Celso Cunha falou sobre o trabalho dos vigilantes
e stewards durante o mundial.



O coordenador geral Mario Celso Cunha falou sobre o trabalho dos vigilantes
e stewards durante o mundial.



O coordenador geral Mario Celso Cunha falou sobre o trabalho dos vigilantes
e stewards durante o mundial.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.