• capa do livro

Curitiba - Cidade Sede

Curitiba é a capital do Paraná, um dos três Estados que compõem a Região Sul do Brasil. Sua fundação oficial data de 29 de março de 1693, quando foi criada a Câmara.

No século XVII, sua principal atividade econômica era a mineração, aliada à agricultura de subsistência.O ciclo seguinte, que perdurou pelos séculos XVIII e XIX, foi o da atividade tropeira, derivada da pecuária. Tropeiros eram condutores de gado que circulavam entre Viamão, no Rio Grande do Sul, e a Feira de Sorocaba, em São Paulo, conduzindo gado cujo destino final eram as Minas Gerais. O longo caminho e as intempéries faziam com que os tropeiros fizessem invernadas, à espera do fim dos invernos rigorosos, em fazendas como as localizadas nos "campos de Curitiba". Aos tropeiros se devem costumes como o fogo de chão para assar a carne e contar "causos", a fala escandida - o sotaque leitE quentE -, o chimarrão (erva-mate com água quente, na cuia, porque os índios a utilizavam na forma de tererê, com água fria), o uso de ponchos de lã, a abertura de caminhos e a formação de povoados.

No final do século XIX, com o ciclo da erva-mate e da madeira em expansão, dois acontecimentos foram bem marcantes: a chegada em massa de imigrantes europeus e a construção da Estrada de Ferro Paranaguá-Curitiba, ligando o Litoral ao Primeiro Planalto paranaense.

Os imigrantes - europeus e de outros continentes -, ao longo do século XX, deram nova conotação ao cotidiano de Curitiba. Seus modos de ser e de fazer se incorporaram de tal maneira à cidade que hoje são bem curitibanas festas cívicas e religiosas de diversas etnias, dança, música, culinária, expressões e a memória dos antepassados. Esta é representada nos diversos memoriais da imigração, em espaços públicos como parques e bosques municipais.

A "mítica imigrante do trabalho" (observação do poeta Paulo Leminski, falecido no século passado) aliada a gestões municipais sem quebra de continuidade, acabou criando uma Curitiba planejada - e premiada internacionalmente, em gestão urbana, meio ambiente e transporte coletivo.

A capital do Estado do Paraná, formada num altiplano 934 metros acima do nível do mar, carente de marcos de paisagem oferecidos pela natureza, acabou criando suas principais referências pela ciência e pela mão humana.

No século XX, no cenário da cidade planejada, a indústria se agregou com força ao perfil econômico antes embasado nas atividades comerciais e do setor de serviços. A cidade enfrentou, especialmente nos anos 1970, a urbanização acelerada, em grande parte provocada pelas migrações do campo, oriundas da substituição da mão-de-obra agrícola pelas máquinas.

Curitiba enfrenta agora o desafio de grande metrópole, onde a questão urbana é repensada sob o enfoque humanista de que a cidade é primordialmente de quem nela vive. Seu povo, um admirável cadinho que reuniu estrangeiros de todas as partes do mundo e brasileiros de todos os recantos, ensina no dia-a-dia a arte do encontro e da convivência. Curitiba renasce a cada dia com a esperança e o trabalho nas veias, como nas alvoradas de seus pioneiros.

DADOS DA CIDADE DE CURITIBA

Altitude 945m
Área 434,967km²
Área verde por habitante 51m²
Bairros 75
Clima Subtropical
Extensão Norte-Sul 35 km
Extensão Leste-Oeste 20 km
Fuso Horário Brasília (UTC-3)
Gentílico Curitibano
Latitude 25º25'48'' Sul
Longitude 49º16'15'' Oeste
Pluviosidade 1500 mm/ano
População 1.851.215 habitantes (IBGE/2009)
Relevo Levemente ondulado
Temperatura média no verão 21º C
Temperatura média no inverno 13º C

Conhecida como cidade-modelo, é uma das capitais com melhor qualidade de vida do Brasil. Avenidas largas e arborizadas, parques e áreas de lazer, sistema viário pioneiro, já exportado para muitos países, distritos industriais planejados e bairros residenciais que privilegiam o bem viver revelam uma metrópole moderna e cosmopolita, com forte jeito europeu.

Alemães, italianos, poloneses e ucranianos, entre outros povos, souberam preservar o passado e mesclar os novos sotaques aos costumes antigos. Os parques são boa prova disso, pois além de servirem como espaço de lazer, reverenciam as diversas culturas étnicas dos colonizadores, com monumentos que homenageiam e recontam um pouco da história.

 
JARDIM BOTÂNICO é considerado um dos principais pontos turísticos da capital paranaense.
O espaço conta com uma área total de 245 mil m2 e conhecido pela sua bela estufa
e seu jardim geométrico. (Tomas Koch Boras)
Recomendar esta página via e-mail: